https://deco.casafaricrm.com/ContentFiles/7139/1696958597_0.jpg?quality=80&mode=crop&anchor=top&width=1080&height=480
iStock

Como pintar a casa em 4 passos

Nem tudo serve para pintar a casa. Uma boa seleção de materiais e tintas fará toda a diferença. Descubra como obter o melhor resultado.

 

Como pintar a casa da forma mais conveniente? Qualquer material serve? A qualidade da tinta não importa, a não ser a cor escolhida? Nem por isso. Estas escolhas são fundamentais.

1. Antes de pintar

Aproveite para reparar alguns defeitos, como furos, outras imperfeições ou partes danificadas da parede. Arranque toda a tinta que esteja já a descascar e aplique-lhe uma massa própria. Deixe secar bem e lixe a superfície depois.

Se a parede tiver sujidades, há que fazer a limpeza: lave-a com detergente neutro, elimine bem todos os restos de detergente e deixe secar.

Isole muito bem todo o espaço, tanto o chão como portas, janelas e locais que não queira pintar.

2. A escolha da tinta

Dê preferência a tintas de base aquosa (tintas de água). Têm boa resistência aos elementos naturais e ao envelhecimento. Além disso, são fáceis de aplicar e aderem bem à parede.

Estas tintas emitem compostos orgânicos voláteis que são prejudiciais à saúde, mas menos dos que as que têm o solvente como base. Uma boa ventilação após a pintura resolve o problema e, ao fim de oito dias, as emissões já são praticamente insignificantes.

Pode escolher entre tintas vinílicas e acrílicas. As últimas têm maior resistência.

3. A escolha do material

Com o que vamos pintar? Depende da superfície, da divisão da casa e da facilidade com que montamos ou limpamos o material escolhido.

Pistola de pintura com compressor incorporado

Para pintar pequenas superfícies ou para trabalhos que exijam algum detalhe, pode ser uma boa opção. Algumas são pesadas, pelo que exigem maior esforço.

Podem ser necessárias várias demãos de tinta. Por isso, não é a opção certa para quem não tem tempo. Além disso, a lavagem é trabalhosa.

Pistola de pintura com compressor externo

Mais leve do que a opção anterior, permite pintar uma grande superfície muito rapidamente. É a opção ideal para grandes superfícies, garagens, muros e paredes exteriores.

Rolo com extensor

Dependendo da marca, pode ser difícil de montar e de encher com tinta. Para pinturas que exijam detalhe, não é aconselhado.

A limpeza também pode ser demorada.

Rolo tradicional

Fácil de montar, permite bons resultados em termos de textura e chega com facilidade aos cantos. A lavagem também é simples.

Recomenda-se a utilização em áreas pequenas, como quartos ou pequenas salas.

Esponja de pintura

Só é aconselhada se o objetivo for obter uma textura irregular. É fácil de manusear, mas é recomendável apenas para pequenas zonas lisas com grande detalhe e muitos isolamentos.

Não comprometa a sua integridade física. Siga as 5 dicas de segurança em trabalhos de bricolagem 

4. E depois de pintar?

Ainda durante a sessão de pintura, areje bem o local. Deve seguir este preceito nos dias que se seguem à conclusão da obra.

Siga os cuidados de utilização do fabricante. Guarde as tintas e o diluente em local fechado e longe do alcance das crianças.

Lave o material que utilizou. Passe-o por água quente ou diluente, como indica o fabricante, até remover toda a tinta.

Deixe evaporar a água ou o diluente usados na limpeza do material ou deite-os em recipientes fechados. Deve depositá-los num ecocentro com recolha destes resíduos e não no lixo comum. As câmaras municipais dispõem desta informação. Nunca deite estas substâncias no esgoto.

Areje a casa com frequência. Além de todos os benefícios já conhecidos, este gesto simples poderá preservar melhor a pintura.